Revista Portal Útil

Muitas pessoas já separam um tempo em uma determinada época do ano para colocar os exames em dia. Normalmente, isso acontece após as festas de final de ano e o Carnaval, quando a vida já começa a entrar em um ritmo de normalidade.

Independentemente do período em que você escolher para fazer seu check-up de saúde, especialistas recomendam que isso seja feito com frequência.

Cada fase da sua vida, no entanto, tem exames específicos que devem começar a ser feitos de maneira rotineira. Já em alguns outros casos, se você já apresentou alguma condição médica, será necessário acompanhá-la para garantir o seu bem-estar.

Por isso, é importante saber qual o nome dos exames de rotina que precisam ser feitos.

O que este artigo aborda:

Qual o nome dos exames de rotina? 11 exames
Qual o nome dos exames de rotina? 11 exames
Pin It

Importância dos exames de rotina

Para quem tem um veículo, já deve ser comum passar por uma oficina mecânica de tempos em tempos para uma manutenção preventiva. Durante o processo, os especialistas em veículos deverão procurar por possíveis problemas e como arrumá-los antes que eles causem algum acidente mais grave.

Assim como acontece a manutenção preventiva com veículos, o mesmo acontece com o organismo humano a partir da medicina preventiva.

Os exames de rotina ajudam a identificar anormalidades, ainda que elas não tenham dado os primeiros sinais com sintomas. Com isso, essas revisões periódicas ajudam a evitar graves problemas de saúde.

Eles precisam ser feitos pelo menos uma vez por ano, mas podem ser indicados com uma frequência maior, de acordo com as condições de cada paciente. Por isso, não deixe de consultar um médico para avaliar como e quando fazer esses exames, especialmente nos casos em que já houve alguma alteração nesses diagnósticos em algum momento de sua vida.

Confira a seguir qual o nome dos exames de rotina:

Hemograma

Um dos exames mais simples e mais importantes para verificar se a sua saúde está em dia é o hemograma. Nesse tipo de exame estão algumas informações muito relevantes, como a contagem de células vermelhas, que quando estão baixas podem indicar uma anemia, ou a contagem de células brancas, que revelam a presença de uma alergia, inflamação ou infecção.

O hemograma pode ser solicitado anualmente ou semestralmente em alguns casos. Se a pessoa já possui algum problema de saúde, a indicação é realizar esse exame com um intervalo de tempo ainda menor.

Colesterol

O exame de colesterol também deve ser feito com frequência, por isso se encaixa dentro dos exames de rotina. Ele ajuda a medir tanto o colesterol HDL, que é conhecido como o “bom colesterol”, quanto o LDL, que é considerado maléfico ao corpo. Esse exame também faz uma relação total desse lipídio no organismo.

Ele é importante para prevenir ou acompanhar doenças cardíacas, ajudando a identificar quando é necessário realizar uma mudança no estilo de vida.

Glicose

Fazer o exame para medir a glicose ajuda a realizar o acompanhamento preventivo da diabetes de tipo 2. Outro exame com uma função parecida é a hemoglobina glicada, que é um teste para verificar como está a sua resposta à insulina, ajudando a identificar precocemente se houve alguma alteração nessa área.

TSH e T4

Para verificar a saúde da sua tireoide, essa pequena glândula localizada na região do pescoço, os testes TSH e T4 são essenciais. Afinal, apesar de ser uma parte pequena do seu corpo, ela realiza funções muito importantes, ajudando a regular o bem-estar do organismo.

Alterações nessa glândula costumam causar o hiper ou hipotireoidismo, que causam diversos desconfortos e riscos à saúde.

ISTs

Os exames de Infecções Sexualmente Transmissíveis também devem estar entre os seus exames de rotina. Isso porque algumas infecções começam sem sintomas e, mesmo quando apresentam sinais, podem desaparecer sem terem sido realmente curadas.

Identificar a presença de vírus ou outros agentes patogênicos é essencial para preservar a própria saúde e a de outras pessoas com quem se relaciona.

Ureia e creatinina

Para acompanhar a função renal, os exames de ureia e creatinina ajudam a entender como estão os rins.

Tanto a creatinina quanto a ureia são compostos que se acumulam no sangue quando esses órgãos não estão funcionando adequadamente, ou seja, quando deixam de filtrar as toxinas no organismo.

Transaminases (ALT e AST), TGP e TGO

Já no caso do fígado é importante realizar outros tipos de exame para saber se esse órgão está desempenhando seu papel.

Os exames ALT, AST, TGP e TGO são importantes, pois problemas no fígado costumam ser silenciosos no início, e, portanto, quando são descobertos com antecedência, permitem um tratamento mais adequado e eficiente.

Vitaminas e minerais

Acompanhar a concentração de vitaminas e minerais em seu organismo também é necessário. Ainda que não seja comum a muitos pacientes, esse exame pode ajudar a diagnosticar adequadamente a falta de ferro, vitamina D e B12, que quando ausentes ou em baixas quantidades costumam causar grandes prejuízos ao bem-estar.

Urina e fezes

Para completar o check-up das suas funções renais, hepáticas, urinárias e intestinais, o exame de urina e fezes também é muito importante.

Apesar de serem simples, eles trazem grandes informações sobre o funcionamento do corpo, ajudando a prevenir problemas mais graves.

Papanicolau e mamografia

Esses exames são indicados para pessoas com útero e mamas. Enquanto o papanicolau ajuda a identificar alterações nas células do colo do útero, como possíveis tumores, a mamografia permite uma visão mais detalhada da saúde das mamas, permitindo um tratamento precoce em caso de câncer no local.

PSA, ou exame de toque

Já o PSA, ou exame de toque, é indicado para pessoas com próstata, ajudando a diagnosticar precocemente o câncer nessa região ou outras alterações possíveis na glândula. Esses exames são indicados para quem já tem mais de 40 ou 45 anos, de acordo com o histórico de saúde individual ou familiar.

Da faculdade de medicina à faculdade de enfermagem, todos os profissionais da saúde são orientados a estimular a medicina preventiva. A velha máxima “é melhor prevenir do que remediar” é, inclusive, o principal preceito do Sistema Único de Saúde, já que ter uma boa saúde não é apenas a ausência de sintomas de alguma doença.

Artigos relacionados:

Este artigo foi útil?

Agradeçemos o seu feedback.

Marcela Ferreira

Enfermeira pós graduada com especialização em traumas, urgência e emergência. 12 anos de experiência na área de saúde mental na rede SUS do município de Belo Horizonte. Atuo com criança, adolescentes, adultos e usuários de múltiplas drogas.

whatsapp sharing button
facebook sharing button
pinterest sharing button
twitter sharing button
sharethis sharing button

Pode ser do seu interesse