segunda-feira, 16 de maio de 2022 - 16/05/2022 12:33:14
Revista Portal Útil

Publicado por Marcela Ferreira em 10/05/2022 às 21:35.

Você tem dúvidas sobre como escolher seguro de saúde para crianças? Se a resposta foi sim, este artigo é para você! 

Com a disseminação de várias doenças relacionadas ao estilo de vida e o custo crescente das instalações médicas, tornou-se essencial que todos obtivessem uma apólice de seguro saúde. 

Seja um seguro de saúde para empresas ou um plano para pessoa física, esse tipo de serviço protegerá você e seus familiares de qualquer necessidade ou emergência médica que possa acontecer. 

Uma apólice de seguro saúde é um acordo pelo qual uma seguradora ajuda a fornecer cobertura para as despesas médicas em caso de um problema de saúde ou emergências. 

Ao adquirir uma apólice de seguro saúde, você não precisará mais se preocupar em depender do atendimento público de saúde ou gastar muito dinheiro com atendimento particular durante o seu tratamento. 

Seguro de saúde para crianças: como escolher?

Cada pessoa da família tenta proteger as crianças de todos os tipos de problemas. Mas, o que acontece quando uma criança da família adoece? Nesse cenário, é uma situação de turbulência emocional para os familiares, principalmente os pais. 

Como pai ou mãe, você vai buscar a melhor opção de tratamento para o seu filho, de acordo com a sua condição financeira. 

Quando possível, a melhor solução para esse problema é adquirir um plano de saúde para seus filhos.

Continue a leitura e saiba mais sobre o seguro de saúde para crianças e como escolher uma boa opção!

O que este artigo aborda:

Como escolher um seguro de saúde para crianças

Se você pode pagar um seguro de saúde para o seu filho(a), faça isso. Porém, no momento de fazer a sua escolha, existem alguns fatores importantes a serem analisados. 

Confira alguns deles a seguir: 

1. Cobertura para recém-nascidos:

Uma das características importantes relacionadas aos planos de saúde para crianças é a oferta para bebês recém-nascidos. 

Os bebês recém-nascidos são muito vulneráveis ​​a infecções, pois têm um ambiente saudável dentro do útero da mãe. Mudanças repentinas nas condições ambientais os tornam suscetíveis a doenças como icterícia e outras doenças de pele. 

Portanto, deve haver planos de seguro de saúde adequados para o seu bebê recém-nascido. É importante analisar se existe cobertura de maternidade e cobertura de seguro para seu bebê recém-nascido.

Verifique se o plano oferece cobertura ao seu bebê recém-nascido desde o dia do nascimento até que um período de 90 dias seja concluído ou até que a apólice seja renovada. 

Também questione a cobertura para o parto, vacinação, cuidado pós-natal e outros tipos de procedimentos. 

2. Idade mínima para cobertura:

É fundamental verificar se os filhos menores de apenas 1 dia de idade podem receber cobertura no caso de um dos pais estar incluído no plano de seguro saúde. 

Portanto, verifique a idade mínima para o ingresso de uma criança no plano de saúde familiar. 

Existem planos de saúde que não incluem cobertura de maternidade e, nesses planos, a idade mínima de entrada de uma criança pode variar.   

Nesses casos, por exemplo, quando você estiver interessado em incluir seu bebê recém-nascido no plano de seguro de saúde, precisará informar a sua seguradora sobre a chegada do seu filho.

Isso ajudaria a agilizar o procedimento de inclusão do seu bebê recém-nascido no plano de seguro saúde. 

3. Idade máxima para crianças como dependentes dos pais:

Seus filhos podem ser incluídos como dependentes no seu plano de saúde. Porém, é importante verificar com a operadora qual é a idade máxima para que ele possa permanecer no plano.

A ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) garante que os filhos tenham direito a ser dependentes com 21 anos completos. No entanto, as operadoras podem ampliar esse limite máximo de idade. 

No entanto, no caso de planos individuais de saúde, não há limite máximo de idade da criança até a qual ela pode ter cobertura. Afinal, é um plano exclusivo e próprio para a criança. 

A importância segurada em ambos os casos, ou seja, no plano familiar e nos planos individuais de saúde é escolhida pelos pais. 

Se a criança não for mais menor no momento de optar pelo plano, é aconselhável que ela opte por um plano de saúde separado para que:

  • Possa ser continuado por toda a vida;
  • Possa adicionar seu cônjuge e filhos após o casamento.

4. Cobertura abrangente:

Em relação à cobertura dos planos de saúde para crianças, a maioria das seguradoras inclui cobertura integral. 

As seguradoras costumam cobrir: consultas, exames, despesas pré-hospitalização, despesas de hospitalização e despesas pós-hospitalização e assim por diante. 

No caso de uma doença crítica ou com risco de vida na criança, o seguro saúde costuma oferecer cobertura total. 

No entanto, no momento de escolher o plano de saúde ou adicionar o seu filho ao seu plano, é fundamental que verifique toda a cobertura e se existem exclusões. 

Caso existam, todas as exclusões precisam ser consideradas no momento de escolher o melhor plano de saúde para seu filho.

Conclusão

Escolher um plano de saúde para crianças é uma tarefa muito importante, afinal, estamos falando de proteção para os pequenos. 

No momento de pesquisar por um plano, ou cogitar adicionar à criança ao seu plano, verifique todas as informações necessárias. 

Não existe em tirar todas as suas dúvidas para ter certeza de que está fazendo uma boa escolha de seguro de saúde para o seu filho.

Marcela Ferreira

Enfermeira pós graduada com especialização em traumas, urgência e emergência. 12 anos de experiência na área de saúde mental na rede SUS do município de Belo Horizonte. Atuo com criança, adolescentes, adultos e usuários de múltiplas drogas.

1

Pode ser do seu interesse

Exercícios para fazer na piscina para melhorar sua saúde

Exercícios para fazer na piscina para melhorar sua saúde

Cirurgia de Papada: Procedimentos e como funciona

Cirurgia de Papada: Procedimentos e como funciona

Como fazer dieta intermitente? – Aprenda passo a passo!

Como fazer dieta intermitente? – Aprenda passo a passo!

Como relaxar: conheça 10 dicas para diminuir a ansiedade

Como relaxar: conheça 10 dicas para diminuir a ansiedade

4 dicas para um sorriso bonito e saudável

4 dicas para um sorriso bonito e saudável

Clínica compulsória e internação involuntária: Quais as diferenças?

Clínica compulsória e internação involuntária: Quais as diferenças?