quinta-feira, 26 de maio de 2022 - 26/05/2022 17:22:14
Revista Portal Útil

O conteúdo "Por que a terceirização de serviços?" foi feito por Redação e distribuído por Revista Portal Útil na categoria Emprego em . Conteúdo atualizado em .


Hoje o mundo corporativo tem uma dimensão enorme no dia a dia, daí o surgimento de fenômenos como o da terceirização.

Trata-se de um modelo de negócio que mostra como o universo empresarial vem crescendo cada vez mais, e abrindo frentes diversificadas em termos de soluções oferecidas, coisa que algumas décadas atrás seriam impensáveis.

Um exemplo são os setores de facilities, que fazem terceirização de serviços básicos como segurança e limpeza. 

Outro exemplo ainda é o dos de outsourcing, que dão suporte semelhante na área de TI, impressão e afins.

Por isso, explicaremos melhor por que a terceirização de serviços é uma tendência. Bem como o que exatamente ela é, quais seus benefícios e como ela afeta a rotina das empresas contratantes e dos colaboradores envolvidos.

Por que a terceirização de serviços?

Portanto, se você quer entender melhor como esse universo funciona e, quem sabe, beneficiar-se dele também, basta seguir adiante na leitura deste artigo.

O que este artigo aborda:

O que é a terceirização?

Pouca gente sabe, mas existe uma lei de terceirização, que regula a atuação das empresas que prestam serviços dentro dessa modalidade de negócios.

Isso é assim, pois não existe ou não deve haver um vínculo legal direto entre os colaboradores que operam em uma empresa contratante dos serviços de terceirização. 

Em outras palavras, não há vínculo empregatício a não ser com a empresa que presta o serviço.

Contudo, como em toda regra, há exceções, as quais também costumam ser ignoradas por muitas pessoas, inclusive algumas que operam nessa área.

É o fato de que intercorrências como a falência da terceirizadora ou mesmo falta de pagamento mudam essa dinâmica.

Por exemplo, se uma empresa de demolição contrata terceirizados e a empresa que os encaminhou passa por um desses casos, a demolidora fica responsável.

Outro ponto importante, é o fato de que todos os demais direitos e deveres em termos de CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) continuam valendo para cada colaborador, seja ele terceirizado ou efetivo.

Por exemplo, nenhuma empresa pode demitir um funcionário da sua própria folha de pagamento para recontratá-lo como terceirizado, isso é proibido por lei.

As vantagens e benefícios

O primeiro ponto que salta aos olhos quando se fala em terceirização é a chance de focar apenas no seu carro-chefe. Isto é, na qualidade do produto ou serviço oferecido ao mercado.

Assim, uma empresa especializada em cursos profissionalizantes consegue buscar a excelência do que faz em sua própria seara, sem dispersão de energia.

Enquanto isso, a parte de TI, limpeza ou segurança fica a cargo de outros. A própria expertise de cada um dos funcionários é outro benefício, já que eles entendem muito mais de sua própria área de trabalho.

A redução de custos que isso causa é óbvia, o que inclusive permite uma escalabilidade maior. 

Em outras palavras, você vai otimizar sua equipe e toda sua operação, o que permite crescer em uma escala maior, com sustentabilidade praticamente garantida.

A visão do trabalhador

Não dá para negar que os colaboradores que são terceirizados acabam ficando em uma espécie de fogo cruzado, uma vez que tanto a terceirizadora quanto a contratante farão de tudo para lucrar em cima daquela operação.

Sendo assim, a empresa que contrata quer diminuir seus gastos, pagando cada vez menos por uma mão de obra contratada.

Ao mesmo tempo, a terceirizadora também precisa espremer suas margens para ter vantagem na transação, o que corre o risco de desfavorecer a mão de obra.

Daí a importância do trabalho feito por parte de sindicatos representativos e da própria Justiça do Trabalho, que regula esse tipo de contrato atualmente.

Por exemplo, se um funcionário opera na área de perícia de engenharia, ele precisa ser resguardado em vários direitos e benefícios, tais como:

  • Remuneração justa;
  • Cobertura de insalubridade;
  • Segurança do trabalho;
  • Carga horária legal;
  • Suporte de saúde e afins.

De fato, cada vez mais os órgãos competentes têm discutido esse tipo de contrato de trabalho, justamente para que ele não acabe caindo em excessos que favoreçam demais as empresas em negociação, contra o funcionário.

Também é preciso ficar de olho na questão dos constrangimentos possíveis e da perda do horizonte da carreira. 

Afinal, esse profissional não pode ser discriminado por não ter determinado uniforme ou crachá, nem ser descartado como um número.

Conclusão

O universo da terceirização, das facilities e do outsourcing cresce a cada dia que passa, pois os benefícios para as empresas são muitos.

Ao mesmo tempo, é preciso considerar o papel do colaborador nesse jogo. Com as informações que trouxemos acima, fica mais fácil entender melhor essa dinâmica.

Redação

A redação da Revista Portal Útil é formada profissionais com vasta experiência em diversos setores de atuação.

1

Pode ser do seu interesse

5 dicas para conseguir um emprego de aeromoça

5 dicas para conseguir um emprego de aeromoça

O que é um sistema de recrutamento e seleção? Saiba tudo

O que é um sistema de recrutamento e seleção? Saiba tudo

Como ingressar nas Forças Armadas?

Como ingressar nas Forças Armadas?

Regras e condições para o trabalho em altura que você precisa saber

Regras e condições para o trabalho em altura que você precisa saber

Processos seletivos inclusivos: o que são? Como funcionam?

Processos seletivos inclusivos: o que são? Como funcionam?

4 dicas para acabar com a sua procrastinação

4 dicas para acabar com a sua procrastinação