Revista Portal Útil

Se você está prestes a abrir um consultório odontológico, é bom revisar se você já pensou em tudo. É provável que você já tenha refletido sobre o local, sobre o equipamento, enfim, o investimento financeiro que você vai ter que fazer com tudo isso. 

Mas, será que você sabe lidar com finanças? Será que você sabe como ter organização financeira do consultório? Você pode até entender de contabilidade para dentistas, mas temos dicas que podem ajudá-lo ainda mais nesse processo.

Hoje vamos citar 4 dicas para que você saiba como ter organização financeira no consultório odontológico e, dessa forma, possa fazer sua empresa decolar. Vamos lá?! 

O que este artigo aborda:

Como ter organização financeira no consultório odontológico?
Como ter organização financeira no consultório odontológico?
Pin It

1. Tenha uma conta pessoal e uma para a empresa

A primeira dica é uma das mais importantes, e certamente já ouviu várias pessoas que já têm experiência no ramo falarem sobre ela. Um dos erros mais amadores de qualquer um que está começando seu negócio, seja um consultório odontológico ou qualquer outro ramo, é deixar todo seu dinheiro, pessoal e da empresa, na mesma conta.

O profissional acha que vai saber separar as coisas sem anotações, mas não vai. Simplesmente, ele vai se enrolar, e quando perceber, estará colocando dinheiro pessoal na empresa e deixando as contas particulares para trás, ou então o contrário, tirando demais da empresa e não tendo como honrar seus compromissos.

A ideia dessa lista é justamente deixar tudo organizado, e  se você quer de fato uma boa organização, precisa separar as coisas. Tenha uma conta pessoal, onde de lá você vai tirar o dinheiro para gastar com lazer e pagar suas contas pessoais, ou seja, luz, água, etc.

Logo, tenha uma outra conta para o dinheiro da empresa, tanto o que sai para pagar as contas da firma, como salários de funcionários e tudo mais, quanto o dinheiro que entra dos pacientes que você atende. Cada um no seu lugar. 

2. Tenha um salário

Talvez você já tenha ouvido falar sobre “pró-labore”. Esse é o termo usado para o salário de um sócio de uma empresa. O mais inteligente a se fazer não é pegar simplesmente o quanto você acha que vai precisar em determinado mês.

O mais sensato, nesse caso, é você ter um salário para receber todo mês, como qualquer funcionário, e de preferência um valor fixo para que você saiba quanto terá disponível na sua conta todos os meses.

Ao organizar as suas contas pessoais, você não pode em hipótese alguma usar como referência o lucro bruto da sua empresa. Lembre-se que ela também tem seus compomissos próprios, portanto você só pode contar com um salário a ser estipulado.

Então, o que você deve fazer é verificar a média do lucro líquido da sua empresa e, a partir desse valor, definir quanto você pode fazer de retirada todo mês, sendo esse o seu pró-labore que comentamos acima. 

3. Tenha uma conta de emergência

Você deve fazer o cálculo do seu salário todo mês, mas ele não é o único dinheiro que precisa de um direcionamento no seu negócio. Basicamente, você precisa dividir seu dinheiro em 3 coisas básicas.

A primeira delas é o dinheiro que a sua empresa precisa para sobreviver todo mês, falaremos especificamente sobre isso mais à frente. A segunda coisa é o seu salário ou pró-labore. E a terceira é um fundo emergencial para a sua empresa. 

Você precisa lembrar que com um consultório de odontologia, não terá o mesmo faturamento todo mês. Sendo assim, pode manter uma média, portanto, pode ser que em um mês você consiga fazer uma retirada maior e em outro mês tenha uma menor.

Por conta dessa oscilação, necessariamente você precisa ter um fundo de emergência que permita que socorra alguma situação inesperada, caso ela venha a ocorrer. Por isso, você não deve esperar o mesmo faturamento todo mês, já que imprevistos acontecem, e mesmo esperando pelo melhor, deve se preparar para todas as situações. 

4. Faça um curso de contabilidade

Por último, mas não menos importante, você precisa ter alguns conhecimentos para  quando for pensar nas suas finanças. Mesmo que você possa contratar uma empresa para ajudá-lo com isso, você precisa entender o mínimo para não ficar perdido com as próprias finanças. 

Quando alguém inicia uma nova empresa, normalmente tem várias ideias de quais serão suas prioridades, se o foco deve ser primeiramente nos equipamentos, por exemplo. Seja como for, conhecer o seu negócio é fundamental.

Na faculdade, é provável que você tenha aprendido mais a ser um dentista do que ser um empresário e, por essa razão, torna-se importante aprender mais sobre essa questão. Quando o assunto é finanças, esse aprendizado passa a ser essencial, já que um erro nessa área pode acabar gerando uma série de problemas que podem facilmente levar a sua empresa ao fracasso. 

Artigos relacionados:

Este artigo foi útil?

Agradeçemos o seu feedback.

Redação

A redação da Revista Portal Útil é formada profissionais com vasta experiência em diversos setores de atuação.

whatsapp sharing button
facebook sharing button
pinterest sharing button
twitter sharing button
sharethis sharing button

Pode ser do seu interesse